Ralo de Fundo

Um motivo de muita preocupação no aspecto segurança são sem dúvida os problemas com os ralos de fundo, totalmente negligenciados pela grande maioria dos usuários, proprietários e responsáveis por piscinas e, o que é pior, pela maioria dos projetistas. A força de atração que a bomba de uma piscina, mesmo de pequena potência exerce no corpo (ou parte dele) de uma pessoa contra o ralo de fundo é muito grande. Muitas vezes um adulto não consegue se livrar da ação dessa força sozinho, ou mesmo com o auxílio de várias pessoas adultas, não se consegue retirá-la.

Os acidentes normalmente ocorrem com crianças e jovens com idade superior a 5 anos, diferentemente dos casos de afogamentos. Nesses acidentes, banhista pode morrer ou ficar em estado vegetativo, e algumas vezes, quando a sorte ajudar, poderá sair ileso.

As pessoas responsáveis pela supervisão de piscinas devem ser alertadas para a gravidade do problema, que, apesar de não muito frequente, apresenta resultados desastrosos, quer para a vítima, quer para os seus parentes, com a morte ou invalidez permanente da vítima.

Como consequência, os responsáveis pela piscina muitas vezes têm de arcar com indenizações vultosas e muitas vezes corretas.

Piscinas públicas e piscinas residenciais

Embora as piscinas públicas trabalhem com bombas mais potentes, e, portanto com maior poder de sucção, devido a um número maior de ralos de fundo interligados, ou ralos de grandes dimensões, aliado ao fato de serem obrigadas à supervisão de salva-vidas, o número de acidentes envolvendo ralos de fundo não é comum. Piscinas residenciais, a maioria delas com um único ralo de fundo e com grades planas, são as grandes responsáveis por grande número de acidentes.

BOLETIM TÉCNICO

Como evitar acidentes no ralo de fundo

Muitas das soluções aqui apresentadas não evitam totalmente os acidentes, mas diminuem sua probabilidade. Devem-se abordar diferentemente as piscinas a serem construídas ou reformadas das piscinas já existentes. Enquanto nas piscinas a construir ou a reformar são usadas soluções relativamente de baixo custo, para as piscinas existentes a maioria das soluções são caras, se forem adotadas as mesmas soluções das piscinas a construir, e apenas algumas são de baixo custo. As seguintes soluções podem diminuir a probabilidade de acidentes em ralos de fundo:

• Dreno antiturbilhão: Existem basicamente dois tipos de dreno anti-turbilhão. O primeiro, com tampa de formato abaulado e vários rasgos próximos à sua borda. Um segundo tipo, usa um espaço entre a tampa e o corpo do dreno por todo o perímetro circular. Embora seja uma solução superior em relação às grades planas, ainda não resolve o problema de maneira total.

• Grelhas ou canais de grandes dimensões: Grelhas quadradas ou retangulares, com dimensões maiores de 45 x 58 cm ou com diagonal maior de 75 cm ou ainda canais, também com diagonal maior de 62 cm, são soluções altamente recomendas.

 

Diferença entre grade e tampa:

Grade é a parte superior do ralo de fundo, de formato plano, com rasgos ao longo de toda a sua área. A tampa tem formato abaulado, com rasgos na sua parte periférica. Sem dúvida, algumas tampas são menos perigosas que as grandes, e os ralos de fundo, em conjunto com essas tampas, são chamados drenos antiturbilhão.

 

Como as pessoas ficam presas:

As pessoas podem ficar presas no ralo de fundo por partes do corpo ou objetos anexos ao corpo, como por exemplo, correntes no pescoço ou vestimentas. As maneiras como isso ocorre são:

Cabelo: O Cabelo é responsável por um grande número de acidentes em ralos de fundo e as pessoas do sexo feminino são as mais atingidas. Embora com o cabelo ainda exista passagem de água, o banhista fica preso no ralo de fundo porque o cabelo enrosca na grade ou tampa do ralo de fundo.

Parte dorsal do corpo: É também um dos grandes responsáveis pelo número de acidentes. A parte dorsal do corpo, devido ao seu tamanho, pode tapar totalmente o ralo, produzindo uma força de sucção muito grande.

Nádegas: Da mesma maneira que o caso anterior, é muito comum, principalmente em piscinas rasas com força de sucção muito grande. Nesse caso, provoca a evisceração do intestino, podendo resultar na morte do banhista.

Dedos da mão: Este tipo de acidente é o menos comum, e quando a grade ou tampa do ralo tem aberturas inferiores a 10 mm, como especificado pela ABNT, a probabilidades de sua incidência é pequena.

Membros: São pernas e braços, mas, devido às suas dimensões de largura estreitas, têm pouca probabilidade de cobrir todo o ralo e, portanto, sua ocorrência é pequena.

Joias e roupas: O ralo de fundo pode prender joias, como correntes, braceletes, bem como trajes de banho, mas sempre com menor possibilidade de acidentes e, quando ocorrem, a probabilidade de escapas é maior.

Duas normas americanas são de relevante importância para ralos de fundo, ou seja:

• ASNE/ANSU A.112.19.8 Persujeira no pré-filtro da coadeira.

• Piscina sem ralo de fundo: A saída da água se faz por meio de coadeiras ou transbordamento perimetral e a entrada da água, por bocais de retorno colocados nas paredes e/ou piso da piscina. Nessa piscina, a limpeza do piso é feita por aspirador e a drenagem, quando necessária, é feita por um ralo de fundo colocado na parte mais funda do piso.

• Compartimento a parte: Consiste em colocar o ralo num compartimento a parte da piscina, onde os usuários não podem chegar devido a uma parede que impede sua entrada. Em piscinas com capas automáticas, onde se faz um compartimento especial e a parte para a capa, pode-se aproveitar este compartimento.

• Sistema de alimentação por gravidade: O tanque de compensação coleta a água da piscina e a bomba succiona a água do tanque em vez de água da piscina. Este método de recircular, filtrar e/ou aquecer elimina a sucção direta do ralo de sucção para a bomba de filtro. Alguns críticos apontam para a possibilidade de duas pessoas taparem simultaneamente esses ralos, o que, a meu ver, é improvável.

• Ligação sem registro entre o ralo de fundo e a coadeira: esta é uma solução, mas de difícil probabilidade, porque muitas coadeiras possuem registros internos para dividir o fluxo entre o ralo de fundo e a coadeira. Caso a coadeira usada não tenha registro, essa é uma boa solução. Deve-se, no entanto, tomar cuidado para que o fluxo não seja interrompido, quer por defeito na sua barragem, quer por excesso de a pessoa ficar presa, pois a água passa ao redor do corpo (ou membros) e se escoa pela grade. Essas dimensões são suficientes para eliminar o risco em 99% de pessoas do sexo masculino na idade entre 20 e 65 anos.

• Dois ou mais ralos interligados: Dois ralos de fundo, de preferência do tipo dreno antiturbilhão, interligados e distantes entre si com espaçamento mínimo de 1.0m (os americanos especificam 3 pés) entre eles, é uma solução altamente recomendada. Não são permitidos registros entre os ralos e o tee por onde é conectada a tubulação de 32 fundo e retira a água do tanque onde não existem banhistas. Este sistema não produz força no ralo de fundo suficiente para representar perigo. O tanque de compensação fica aberto para a atmosfera. No caso de bloqueio do ralo de fundo, a água é retirada do tanque até que o ar seja introduzido na linha de sucção, mas nenhuma sucção direta é aplicada no ralo de fundo.

• Respiro atmosférico: o uso de um respiro atmosférico remove a sucção de um ralo de fundo no caso de seu bloqueio. O respiro deve ser conectado à linha de sucção entre o ralo de fundo e a bomba e deve ser aberto para a atmosfera. O tubo do respiro é preenchido com água e seu nível é o mesmo da piscina. Quando o ralo de fundo é obstruído, a bomba começa a puxar água do respiro até que o ar seja introduzido no sistema de recirculação e logo a sucção é quebrada e a bomba perde escorva.

• Piscinas existentes: Todas essas possibilidades mencionadas podem ser introduzidas nas piscinas já existentes, mas sempre a um custo elevado, pois vai mexer na estrutura da piscina. A seguir, algumas sugestões de custo menor para piscinas já existentes, e que podem também ser usadas em piscinas novas ou a reformas. O uso de várias soluções em conjunto é sempre recomendado, pois diminuem a probabilidade de ocorrência de acidentes.

• Grelha especial: Pelas dimensões, é uma grelha usada para pequenas piscinas, podendo ser usada em piscinas novas ou já existentes. Tem formato circular com diâmetro de 15 cm e ainda não é comercializada no Brasil O fabricante deste produto faz as seguintes observações:

• evita o enrosco de cabelo • evita a evisceração • evita prender o dado • diminui a possibilidade de prender o corpo e membros • é aprovado pela ASME/AISI – 112.19.9M

• permite uma vazão segura de 24,9 m³/h (109,6 gpm) • construído em PVC virgem com carga de titânio e inibidores de ultravioleta, o que é uma garantia de dedos de crianças •fendas de até 8 mm, impossibilitando a entrada de dedos de crianças • parafusos de fixação em aço inoxidável com fendas na cabeça tipo Philips • através de um aro adaptador, permite a troca de grelhas circulares de outros fabricantes até a dimensão de 22,5 cm de diâmetro.

 

Piscina com um ralo de fundo

Quando a piscina tem apenas um ralo de fundo com uma grelha, constitui-se um acaso mais preocupante, principalmente quando não há coadeira interligada ao ralo de fundo sem registros .Verifique o seguinte: • Cálculo da velocidade: calcule a velocidade da água através da grelha do ralo de fundo. Para isso é necessário saber a vazão da bomba e a área das ranhuras da grelha do ralo. A vazão depende, entre outros fatores, da pressão a que está sujeitada a bomba, e da sua potência, mas como cálculo inicial deve-se usar a seguinte aproximação de 10 m³/h para cada cavalo de potência de cada bomba. Calcule a área das ranhuras da grelha do ralo em metros quadrados. A velocidade da água na grelha em metros por hora (m / h) obtém-se dividindo a vazão (m³/h_ pela área de ranhuras da grelha (m²). A velocidade da água em metros por segundo obtém-se dividindo-se por 3.600 a velocidade em metros por hora. Se este valor estiver acima de 0,8 m/s, a vazão está acima do permitido pelo Decreto nº 13.166 do estado de São Paulo, e se maior de 0,6 m/s está acima do permitido pela ABNT; se acima de 0,46 m/s está acima da norma americana.

 

Outras atitudes de baixo custo que podem diminuir os acidentes com ralos de fundo. Estas atitudes servem tanto para piscinas existentes como a construir e possuem alta eficiência a custo baixo. • O uso da touca deve ser obrigatório, não só por questões higiênicas, mas porque evita o enrosco do cabelo no ralo. O uso deve ser obrigatório para ambos os sexos. A touca vai evitar o enrosco do cabelo, que é uma das maiores causas de aprisionamento no ralo de fundo.

Teste da verdade

Faça o teste da verdade. Com uma prancha de natação ou um pedaço de tábua maior que a grade de ralo, tape-o com o motor da bomba em funcionamento. Pela força com que a tábua é puxada e a dificuldade em retirá-la do ralo tem-se uma indicação do que acontece quando uma pessoa fica presa. acidentes ocorridos no Brasil são de enrosco de cabelo. • Proibir a entrada na piscina de usuários portadores de joias, principalmente colares, crucifixos e braceletes.

• Proibir a entrada de pessoas com roupas folgadas na piscina.

• Usar uma bomba de filtração de menor potência e assim diminuir a velocidade da água na grelha do ralo. (Esta solução pode não atender ao tempo de recirculação projetado para a circulação da água, mas pode resolver o grave problema da sucção no ralo de fundo).

• Um disjuntor ou chave magnética, próximo da piscina, podem cortar a energia da bomba responsável pelo acidente. Esta solução só dá resultado se houver uma pessoa por perto e que saiba como desligar a bomba.

• O operador da piscina deve constantemente controlar a tampa ou a grade do ralo de fundo, para que as mesmas estejam na posição certa, presas por parafusos ou outro sistema que impossibilite a retirada da tampa com a mão e, em perfeito estado de conservação. Quando houver qualquer falha na fixação da tampa ou na grade do ralo de fundo, a piscina deverá ser interditada.

 

Escrito por: Nilson Maierá.  Engenheiro químico formado pela Universidade Politécnica da Universidade de São Paulo – USP. Maierá está há pelo menos 30 anos nomercado de piscinas e é fundador da academia Raia 4 piscinas.


Voltar

Piscinágua © Copyright 2017 - Todos os direitos reservados.